quarta-feira, 20 de junho de 2012

Mini-entrevista a Rafael Vazquez Graña - Herpetologo

A&R de Portugal: Rafa, tu tens feito um trabalho extraordinário no que diz respeito ao levantamento e à monitorização das espécies de anfíbios e de répteis existentes na Galiza, com mais de 350 quadrículas 10x10km prospectadas nos últimos anos. No decorrer do teu trabalho tens verificado mudanças significativas na distribuição de algumas espécies? Até que ponto pensas que seria importante monitorizar as populações destes animais?

Rafael Vazquez Graña: Seria sem dúvida interessante fazer essa monitorização, eu mesmo na Galiza e em outros sítios da Península, encontrei espécies em muitas quadrículas para as quais não estavam citadas e inclusive a muitos quilómetros dos pontos de distribuição conhecidos mais próximos. Algumas dessas populações deveriam ser protegidas pela sua escassez, pelo seu isolamento e pela raridade dos habitats de que dependem. Por exemplo encontramos numa zona alta do concelho de Ourense em A Veiga, uma população de Tritão-palmado (Lisotriton helveticus) numa lagoa de montanha isolada e muito distanciada da população mais próxima. Infelizmente encontramos também muitas vezes mudanças na distribuição das espécies e muitas vezes associadas à destruição irreversível dos seus habitats, o que lamentavelmente se estar a tornar um hábito. Como exemplo, uma população de Sapo-de-unha-negra (Pelobates cultripes) que existia em O Barco de Valdeorras também em Ourense está praticamente extinta depois de o seu habitat ter sido aterrado para que se faça uma zona industrial.

1 comentário:

Xosé Ramón Reigada Prado disse...

Olá, um dos melhores herpetólogos da Galiza, cumprimentos desde Verín para o Rafa e para si