quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Desenvolvimento embrionário do Tritão-de-ventre-laranja (Lissotriton boscai)



 Quando as larvas dos Urodelos (salamandras e tritões) eclodem são já muito mais desenvolvidas que as dos anuros (sapos e rãs). Possuem somente as patas anteriores mas são capazes de nadar rapidamente para fugirem a possíveis predadores e refugiarem-se junto da vegetação aquática. Aliás ainda dentro do ovo são já capazes de girar e treinar os primeiros movimentos de natação.



Estes tritões são dos mais pequenos anfíbios existentes em território nacional raramente atingindo os nove centímetros de comprimento. Imaginem portanto o tamanho destes ovos! Têm somente dois ou três milímetros de diâmetro! Depois da eclosão pequenas larvas quase transparentes e praticamente invisíveis enfrentam todo um novo mundo de perigos e descobertas até se tornarem nos belos Tritões-de-ventre-laranja que conhecemos!